Última hora: Protestos populares dos últimos dias motivam queda do governo

19-03-2012

Numa crise sem precedentes na história política bugiesa, S.A.R. o Grão-Duque Teodorico acaba de aceitar a demissão do chanceler Estanislau Mendes Trambolho, depois de três dias e três noites em que a residência oficial do chefe do executivo na Residencial Flamingo esteve rodeada por populares em fúria cantando em coro êxitos do cantor português Nel Monteiro como protesto contra o agravamento da situação económica. Entre gritos de “abaixo o Trambolho” e refrões de “Azar na Praia” , o chanceler acabou por ser escoltado por elementos da Guarda Nacional até ao Palácio da Mururoa, onde, segundo fontes oficiais, terá entregue uma carta de demissão rabiscada à pressa num guardanapo com manchas de chouriço. O momento de viragem foi a tentativa de comunicação com os manifestantes em que, entre apelos à calma e à unidade, Mendes Trambolho pediu que cantassem qualquer coisa de José Malhoa, alegando que Nel Monteiro seria um artista menor. Ainda tentou trautear o refrão de “Baile de Verão”, mas ao segundo “aperta, aperta com ela”, começaram a voar pedras e cocktails molotov. Os manifestantes concentraram-se em seguida na Praça das Doenças da Pele, um dos pontos mais emblemáticos da cidade de São Lourenço, e aí se encontram até agora, rodeados por um cordão policial e por algumas dezenas de texugos treinados em ofensa verbal. A chefia do governo será entregue de forma interina a Jerónimo Salafrário, ministro dos Negócios Estrangeiros e Acepipes Variados do governo que agora cessa funções. O paradeiro actual do ex-chanceler é desconhecido.

Deixe um Comentário

Por Bugio

Outros artigos